37ª Semana de 2018

Leitura da Semana: Isaías 53, Mateus 27, João 19, 1 Pedro 2

A visão de Isaías III - Sacrifício

"Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades (fraquezas, sofrimentos) e as nossas dores [de punição] levou sobre si; e nós [ignorantemente] o reputávamos por aflito, ferido de Deus [como se fosse leproso] e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo [necessário] que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras (feridas) fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos."
(Isaías 53:4-6)

Algumas pessoas sabem muito bem o que é um sacrifício. Alguns defendem entes queridos em assaltos (colocando-se na mira de fogo ao defender o próximo); outros se arriscam ao salvar pessoas de acidentes iminentes: colocam suas vidas em risco pela vida de outros que, às vezes, nem conhecem.

Isaías afirma, indiretamente, que o pecado da humanidade inteira estaria sobre o Messias. Será que nossa mente limitada é capaz de imaginar a dimensão de tal sacrifício? Se Jesus veio para todos os seres humanos ao longo de nossa história, isso implica em pecados da Primeira Guerra, Segunda Guerra e tantos outros conflitos sangrentos que o ser humano realizou ao longo de sua existência. Muito sangue inocente derramado… Você consegue imaginar o peso disso?

Isaías narra, com extrema precisão, um evento que ocorreria somente 700 anos depois. Em Sua Primeira Vinda, o Messias deveria vir como Cordeiro, com o objetivo de receber sobre si o pecado de todos os seres humanos. O objetivo maior era restaurar a autoridade que foi perdida por Adão. Interessante que, no episódio da tentação no deserto, o diabo menciona o seguinte a Jesus, em Lucas 4:6:

"Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos (toda sua magnificência, excelência, preeminência, dignidade e graça), porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser."

Jesus levou sobre si nossas enfermidades. No texto original hebraico, a palavra para "enfermidades" curiosamente significa "doenças espirituais". Ele foi literalmente moído por nossas transgressões em Seu sacrifício definitivo na cruz (releia o devocional do dia 31). O nome de cada um de nós está gravado em cada ferida de Seu corpo pendurado no madeiro. Jesus assim cumpre literalmente a profecia em Mateus 8:16-17:

"Chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele meramente com a palavra expeliu os espíritos e curou todos os que estavam doentes; para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías: Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças."

Compare a a profecia de Isaías com o seu cumprimento literal nas passagens seguintes:

"Então, Pilatos lhes soltou Barrabás; e, após haver açoitado a Jesus, entregou-o para ser crucificado." (Mateus 27:26)

"Mas um dos soldados lhe abriu o lado com uma lança, e logo saiu (fluiu para fora) sangue e água." (João 19:34)

"...carregando ele mesmo em seu [próprio] corpo, sobre o madeiro [como um altar e lá entregou-Se a Si mesmo], os nossos pecados, para que nós, mortos (cessados de existir) para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados. Porque estáveis desgarrados como [tantas] ovelhas; agora, porém, vos convertestes ao Pastor e Bispo (o Guardião) da vossa alma." (1 Pedro 2:24-25)

"Porque Cristo, quando nós ainda éramos fracos [sem qualquer poder de ajudar a nós mesmos], morreu a seu tempo pelos (em favor dos) ímpios. Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo (o Messias, o Ungido) morrido por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5:6-8)

Nesta semana, reflita sobre o propósito de Jesus ter morrido na cruz pelos nossos pecados.

Início do Site

Devocional da semana atual

Devocional de outras semanas: