36ª Semana de 2018

Leitura da Semana: Isaías 53, João 12, Marcos 12 e Apocalipse 19

A Visão de Isaías II - Rejeição e desprezo

"Quem creu (confiou, apoiou-se) em nossa pregação [, na mensagem que nos foi revelada]? E a quem foi revelado o braço do SENHOR? Porque [o Servo de Deus] foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência [real, pompa de rei] nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso."
(Isaías 53:1-3)

Continuando a explorar essa visão impressionante de Isaias acerca do Messias, ele começa a descrição da visão afirmando que o Messias seria rejeitado e desprezado pelo seu próprio povo em Sua primeira vinda.

Cerca de 700 anos depois, essa profecia cumpre-se literalmente, conforme João 12:37-38:

"E, embora tivesse feito tantos sinais na sua presença (bem diante dos olhos deles), não creram nele, para se cumprir a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço (o poder) do Senhor?"

Como e possível tal situação? Um Messias, Um Salvador tão aguardado e que, quando finalmente chega, seria desprezado ao invés de aceito?

Na realidade, o povo esperava alguém com a aparência e porte de rei, porque a profecia menciona que o Salvador seria da mesma linhagem de Davi, o maior rei que havia governado Israel até então. Entretanto, Deus surpreende e confunde os que são com aqueles que não são (1 Coríntios 1:28).

Isaías 53:2 afirma que o Messias (Jesus) não teria nenhuma aparência distinta do resto do Seu povo. Não teria o porte físico ou a beleza de um rei. Porém, Ele é o Verdadeiro Filho de Deus, o Rei dos reis e Senhor dos senhores (Apocalipse 19). Por que Deus fez assim? Para nos ensinar que, por muitas vezes, a resposta a nossas orações virá de uma forma que menos esperamos. Deus pode, a qualquer momento, nos surpreender usando pessoas que, ao nosso ver, seriam as mais improváveis de nos ajudar. Pessoas que, na nossa mente limitada, rotulamos como quem nunca poderia ajudar. São exatamente essas pessoas as que Deus mais ama e você vai ver que Deus quebrará padrões e paradigmas criados em sua mente, usando a vida dessas pessoas para lhe ajudar e mostrar que Ele está com você.

Nunca menospreze o seu próximo. Nunca pense ser melhor que alguém, porque você é letrado e o próximo não. Seria como julgar um livro pela capa. O que vale é o conteúdo do livro. Perante a Deus, todos somos igualmente amados e considerados. Jesus disse: "Ame ao próximo como a si mesmo." (Marcos 12:31). Medite sobre isso nesta semana.

Início do Site

Devocional da semana atual

Devocional de outras semanas: