3ª Semana de 2018

Leitura da Semana: Salmos 110, Hebreus 5 e 2 Coríntios 9:7

Sacerdócio e Aliança

"Melquisedeque, rei de Salém [mais tarde chamada de Jerusalém], trouxe pão e vinho [para seu alimento]; era sacerdote do Deus Altíssimo; abençoou ele a Abrão e disse: Bendito (favorecido com bênçãos, bem-aventurado, feliz) seja Abrão pelo Deus Altíssimo, que possui os céus e a terra; e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo [o que tinha de despojos] lhe deu Abrão o dízimo."
(Gênesis 14:18-20)

Considero esta passagem bíblica como uma das mais maravilhosas. Por que esta passagem tem a ver com a revelação de Jesus Cristo? Melquisedeque significa "O meu Rei é Justo". Ele era rei de Salém, o primeiro nome da atual Jerusalém. Ele foi uma figura profética, no Velho Testamento, do sacerdócio do verdadeiro Rei de Jerusalém, Jesus Cristo. Jesus se assentará definitivamente no Trono em Jerusalém, estabelecendo seu Governo Milenar.

Agora preste atenção na passagem de Hebreus 7:1-4:

" Porque este Melquisedeque, rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, que saiu ao encontro de Abraão, quando voltava da matança dos reis, e o abençoou, para o qual também Abraão separou o dízimo de tudo [o que tinha de despojos] (primeiramente se interpreta rei de justiça, depois também é rei de Salém, ou seja, rei de paz; sem [registro de] pai, sem [registro de] mãe, sem genealogia; que não teve princípio de dias, nem fim de existência, entretanto, feito semelhante ao Filho de Deus), Considerai, pois, como era grande [pessoa importante] esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirado dos melhores despojos."

Aqui, o autor de Hebreus afirma que Melquisedeque era Servo do Deus Altíssimo, era feito semelhante ao Filho de Deus, e não tinha genealogia na terra - não possuia ascendência terrena. Em outras palavras, não era deste mundo. Jesus Cristo foi gerado de Deus segundo a ordem de sacerdócio de Melquisedeque. Alguns teólogos chegam a afirmar que Melquisedeque era uma teofania - uma aparição de Jesus Cristo a Abraão, ainda no Velho Testamento.

O propósito do encontro com Melquisedeque era confirmar a aliança que Deus fez com Abraão. Com o coração puro, e ao dar o dízimo a Melquisedeque, Abraão confirma a aliança de fidelidade com o Pai. Por isso, o dízimo é um memorial da aliança que temos com o Pai, e não está restrito a questões financeiras, como alguns pregadores assim rotulam.

Toda vez que você der o seu dízimo a Deus, faça-o com o coração puro, como ato de fidelidade, sempre meditando na confirmação da sua aliança com Ele. Lembre-se de que: antes de você fazer uma aliança com Deus, Ele fez uma aliança com você. Jamais encare o dar o dízimo com intenções ou ambições financeiras em seu coração, porque senão o propósito original do dízimo perde sua validade. E isso também vale para o líder que recebe o dízimo das ovelhas em sua igreja.

Início do Site

Devocional da semana atual

Devocional de outras semanas: