14ª Semana de 2018

Leitura da Semana: Romanos 8, 1 Timóteo 2, Hebreus 8,9 e 12

Jesus veio para ser o Seu Mediador!

"Viu que não havia ajudador algum e maravilhou-se de que não houvesse um intercessor [ninguém para intervir em favor da verdade e da justiça]; pelo que o seu próprio braço lhe trouxe a salvação, e a sua própria justiça [tendo o Espírito sem medida] o susteve."
(Isaías 59:16)

A morte de Jesus na cruz do Calvário (ou Gólgota, em hebraico) foi uma reconciliação entre os homens e Deus. Desde o pecado original de Adão, a autoridade que Deus havia delegado ao homem foi perdida. Desde então, a serpente (o diabo) havia tomado esta autoridade que deveria ser de Adão sobre a terra.

Uma passagem bíblica que sempre chama minha atenção é a de Lucas 4:5-8. Esta passagem, embora também narrada em outros evangelhos, possui um detalhe muito importante acerca da tentação de Jesus pelo diabo no deserto. Veja o que a passagem diz:

"E, elevando-o, mostrou-lhe, num momento [num piscar de olhos], todos os reinos do mundo. Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória (magnificência, excelência, preeminência, dignidade e graça) destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser. Portanto, se prostrado me adorares [apenas uma vez], toda será tua. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto."

Aqui, o diabo diz abertamente que a autoridade lhe foi dada e que ele a daria a quem quisesse, com a condição de que a pessoa se prostrasse e o adorasse. Aqui fica claro que a humanidade havia, até então, perdido a ligação harmônica que tinha com Deus, por causa do pecado de Adão. Jesus, sendo a própria Palavra encarnada, não se intimida, e coloca o diabo em seu devido lugar.

Antes de morrer na cruz, Jesus faz uma linda oração intercedendo ao Pai pelos discípulos em João 17. Segue um trecho em João 17:20-21:

"Não rogo somente por estes [,não somente pela causa destes é que faço meu pedido], mas também por aqueles que vierem a crer (confiar, colocar a confiança) em mim, por intermédio da sua palavra; a fim de que todos sejam um; e [assim] como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste."

Aqui, Jesus já perto da crucificação, na conclusão dos Seus três anos de ministério, confirma Seu caráter de ser o mediador entre os homens e Deus. Progressivamente, Jesus vai se revelando como o Verdadeiro Mediador.

Pouco depois, quando Jesus morre na cruz, no ápice de sua atitude de obediência ao Pai, Ele completa a tarefa de ser o Único Mediador entre os homens e Deus, cumprindo a profecia messiânica de Isaías. O autor de Hebreus enfatiza o caráter mediador de Jesus em Hebreus 9:15:

"Por isso mesmo, ele [Cristo, o Messias] é o Mediador da [inteiramente] nova aliança (pacto, testamento), a fim de que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sob a primeira [e velha] aliança, recebam a promessa da eterna herança aqueles que têm sido chamados."

Medite na tarefa de reconciliação de Jesus entre os homens e Deus, o que incluiu Sua morte na cruz para que tivéssemos vida. Na leitura desta semana, preste atenção nos versículos e descubra que não é somente Jesus quem intercede por nós.

Início do Site

Devocional da semana atual

Devocional de outras semanas: