As posiÇÕes prÉ, meso e pós-Tribulacionista para o Arrebatamento

Nesse estudo, adotamos a posição pré-Tribulacionista para o momento do Arrebatamento, que é considerada a posição mais biblicamente correta e condicente com a seqüência dos acontecimentos pertinentes ao final dos tempos. A preocupação é estar sempre de acordo com a Bíblia no tocante à seqüência cronológica dos eventos que marcam a Volta de Jesus Cristo. Queremos deixar claro que respeitamos outras posições quanto ao Arrebatamento, porém adotamos esta como a mais sensata para a seqüência dos acontecimentos no final dos tempos.

Apresentamos, a seguir, as posições pré, meso e pós-Tribulacionista para a ocasião do Arrebamento.

O Arrebatamento pré-Tribulacionista1

O Arrebatamento pré-Tribulacionista se baseia no cumprimento da 70ª. semana de Daniel, quando o anticristo fará um acordo de paz com Israel, imediatamente iniciando o período de sete anos de Tribulação. Antes desse período, a Igreja de Jesus Cristo é ressuscitada e arrebatada com todos os seus santos vivos e levada à casa do Pai (João 14:1-3), julgada e recompensada por suas boas obras (2 Coríntios 5:10).

Após os sete anos de Tribulação, Jesus Cristo retorna em seu Aparecimento Glorioso e destrói o anticristo e o falso profeta, prende Satanás por mil anos (Apocalipse 20:3) e estabelece o governo milenar.

   

Arrebatamento algum tempo logo antes da Tribulação (1 Ts 4:13-17)

   
             
           
 

Era da Igreja

Eternidade

   

3 1/2 anos
1/2 semana de Daniel 9:27

3 1/2 anos
1/2 semana de Daniel 9:27 = 1 tempo + tempos + 1/2 tempo (Ap 12:14)

   

Primeira vinda de Cristo

       
     

O anticristo quebra o acordo de paz, profana o templo (2 Ts 2:3-4)
Começa a Grande Tribulação

     
 

A acordo do antricristo com Israel (Dn 9:27)

 

O aparecimento glorioso de Cristo (Ap 19:11)

 

Seguem alguns dos motivos que justificam que o Arrebatamento Pré-Tribulacionista é a posição mais correta de ser aceita:

  • A Palavra nos diz claramente em Mateus 3:7, Lucas 3:7 e 1 Tessalonicenses 1:10 que os cristãos são salvos da "ira futura" (um dos termos usados para denominar a Tribulação)
  • A Palavra também nos diz em Apocalipse 3:10, Romanos 5:9, 1 Tessalonicenses 1:10 e 5:9 que os cristãos serão protegidos da "hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra". Essa tentação ainda não aconteceu, mesmo sabendo que atualmente o mundo viva sob uma opressão como nunca antes houve na história da humanidade. A igreja ainda está aqui na terra, orando e guerreando. A tentação referida nos versículos acima se refere a uma opressão ainda mais intensa, que só ocorrerá depois que a Igreja for retirada da terra, por ocasião do Arrebatamento
  • O ponto de vista pré-Tribulacionista é o mais lógico da Bíblia no que se refere à Segunda Vinda de Cristo sempre que tomamos o significado das profecias de maneira simples e literal
  • A posição pré-Tribulacionista do Arrebatamento é a única que distingue claramente a Igreja de Israel. A Igreja aparece até Apocalipse 4:3, depois o livro de Apocalipse mostra o foco principal durante a Tribulação, que é Israel. Somente em Apocalipse 18:24 vemos a Igreja retornando (após os sete anos de Tribulação)
  • Apenas a posição pré-tribulacionista preserva o poder motivador do retorno iminente de Cristo, que era o grande desafio da Igreja primitiva
  • Em João 14:1-3, Atos 1:11, 1 Coríntios 15:52-52, Filipenses 3:20, Colossenses 3:4, entre outras passagens, os apóstolos ensinaram que Cristo poderia retornar a qualquer momento. Sem tal expectativa, a Igreja perde o foco espiritual e tem a tendência de se tornar morta
  • A posição pré-tribulacionista é a única distingue claramente entre Israel e a Igreja
  • O ponto de vista pré-tribulacionista mantém a certeza da Palavra de que os cristãos serão guardados da Tribulação.

Existem ainda mais razões pelas quais se justifica o Arrebatamento pré-Tribulacionista como a posição mais correta biblicamente de ser aceita.

O Arrebatamento meso-Tribulacionista1

O Arrebatamento meso-Tribulacionista é parecido ao pré-Tribulacionista, porém assume que o Arrebatamento ocorrerá no meio da Tribulação, tomando como base Mateus 24:15,21 e Apocalipse 11:12.

Neste ponto de vista, a Igreja passaria pela ira e a perseguição do anticristo na primeira metade da Tribulação. A posição meso-Tribulacionista usa a profecia das duas testemunhas em Apocalipse 11 para apontar que o Arrebatamento ocorreria no meio da Tribulação:

  • Apocalipse 11:12
    "
    E [as duas testemunhas] ouviram uma grande voz do céu, que lhes dizia: Subi para aqui. E subiram ao céu em uma nuvem; e os seus inimigos os viram."
         
             
           
 

Era da Igreja

Eternidade

   

3 1/2 anos
1/2 semana de Daniel 9:27

3 1/2 anos
1/2 semana de Daniel 9:27

   

Primeira vinda de Cristo

       
     

Arrebatamento ocorreria no meio da Tribulação (1 Ts 4:13-17)

     
 

A acordo do antricristo com Israel (Dn 9:27)

 

O aparecimento glorioso de Cristo (Ap 19:11)

 

Porém, a posição meso-Tribulacionista tenta se justificar usando os seguintes argumentos:

  • O termo "Subi para aqui" de Apocalipse 11 seria o momento do Arrebatamento da Igreja, mas nesse versículo fica claro que quem sobe são somente as duas testemunhas, e não a Igreja como um todo
  • Apocalipse 12:14 estaria em seqüência cronológica a Apocalipse 11 quando diz "um tempo, tempo e metade de um tempo" (42 meses = 3,5 anos) e seria a justificativa de que após o Arrebatamento haveriam somente mais 3,5 anos de Tribulação. Tal conclusão é incorreta porque a Igreja já não é mencionada entre Apocalipse 4 e 18 (o Arrebatamento já ocorreu). Apocalipse 12 marca o meio da Tribulação, mas já sem a Igreja nesse cenário

A posição meso-Tribulacionista não é considerada biblicamente correta pois nega vários versículos bíblicos que garantem que Deus guardará a Igreja da Sua Ira durante a Tribulação2. Clique aqui para saber quais são estes versículos. Outro fator importante é que a Bíblia jamais afirma em lugar nenhum que o anticristo deveria vir primeiro para que o Arrebatamento acontecesse. Basta olhar o gráfico acima para concluir que se a Igreja fosse arrebatada no meio da Tribulação, o anticristo já estaria presente e governando.

Portanto, a posição meso-Tribulacionista para o Arrebatamento não é a mais correta de ser aceita.

O Arrebatamento pós-Tribulacionista2

No Arrebatamento pós-Tribulacionista, o Arrebatamento e o Aparecimento Glorioso de Cristo se fundem em um só evento. Em outras palavras, a posição pós-Tribulacionista não considera o Arrebatamento e o Aparecimento Glorioso de Cristo como dois eventos distintos.

O conceito do pós-Tribulacionismo se apóia na identificação incorreta da Igreja como sendo os santos da Tribulação3, sendo que os santos da Tribulação se referem aos convertidos após o Arrebatamento, quando não há mais Igreja sobre a terra. Ou seja, para a posição pós-Tribulacionista, a Igreja passaria por todo o período de Trbulação, mas em seu final seria arrebatada, com a segunda Vinda de Cristo. Não existe nenhuma passagem bíblica que justifique este argumento e por isso, esta posição tem sido freqüentemente refutada.

         
             
           
 

Era da Igreja

Eternidade

   

3 1/2 anos

3 1/2 anos

   

Primeira vinda de Cristo

       
     
     
 

A acordo do antricristo com Israel (Dn 9:27)

 

Arrebatamento ocorreria somente no fim da Tribulação (Ap 19:11)

 

O pós-Tribulacionismo ensina que, como a Igreja é avisada de que sofrerá perseguições e tribulações, então fatalmente ela passaria pelo período de Tribulação2. Tal fato nega as promessas do Senhor de livrar a Igreja da Tribulação e além disso também não distingue a Igreja de Israel. Entre Apocalipse 4 e 18, a Igreja está claramente ausente e o foco de perseguição do anticristo passa a ser Israel.

Portanto, a posição pós-Tribulacionista não é biblicamente correta para ser aceita.

ConclusÕES

Apenas estamos explicando aqui os argumentos bíblicos para se adotar o Arrebatamento pré-Tribulacionista como sendo o mais biblicamente correto. Mas tudo isso não é o mais importante.

Seja qual for a posição do Arrebatamento (pré, meso ou pós-Tribulacionista), fato é que estamos na iminência de Jesus voltar, e temos muito trabalho a fazer, que começa por santificarmos nossas próprias vidas, restaurarmos a Noiva (a Igreja) e pregar o evangelho a todo ser humano que ainda não teve a oportunidade de escutar o evangelho uma vez sequer.

Temos que adornar e preparar a Noiva para receber o Noivo dignamente em sua volta.

Bibliografia

1 LAHAYE, Tim. Motivos para crer no arrebatamento pré-tribulacionista. Bíblia de estudo profética. 1.ed. São Paulo: Editora Hagnos, 2006. p.1271-1274.

2 BENWARE, Paul. A ocasião do arrebatamento. Bíblia de estudo profética. 1.ed. São Paulo: Editora Hagnos, 2006. p.1114.

3 COUCH, Mal. Postribulationism and 2 Thessalonians 2:1-12. 2002 Pre-Trib Study Group from Pre-Trib Research Center, 2002. URL: http://www.pre-trib.org/article-view.php?id=119.

 

Índice de Estudo do Fim dos Tempos