A batalha de Armagedom

A batalha de Armagedom se refere a uma guerra necessária entre Jesus e as hostes malignas de Satanás. Esta guerra se faz necessária por causa das ambições perversas da humanidade e sua fonte de poder, que é Satanás.

Jesus descreve quando será esta batalha, em Mateus 24:29-31:

"E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória [em brilho e esplendor]. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os Seus escolhidos (os Seus eleitos) desde os quatro ventos, [exatamente] de uma à outra extremidade dos céus."

Logo depois da Tribulação e antes do Milênio, acontecerá o Aparecimento Glorioso de Jesus Cristo. O anticriso, o falso profeta e o próprio Satanás inspirarão os exércitos de todo o planeta para invadir a região da Palestina a fim de eliminar todos os judeus do mundo e também para lutar contra Jesus Cristo.

O que significa "Armagedom"?

Esta batalha se define como sendo a Batalha de Armagedom. A palavra "Armagedom" vem do hebraico Har Megiddo, que significa Monte Megido. Este monte está situado no vale de Jezreel (nome hebraico), conhecido como planície de Esdraelom (nome grego), ou ainda planície ou vale de Megido, por causa da cidade de Megido que fica a oeste da planície.

Segundo especialistas em história, houve mais guerras em Megido do que em qualquer outro lugar da terra, por ser muito bem estrategicamente localizado. Chegam a concluir que a cidade de Megido foi construída e destruída mais de 25 vezes. A cidade natal de Jesus, Nazaré, fica ao norte do vale de Megido.

Seguem os nomes de alguns generais que guerrearam neste vale:

Tutmosis

1500 a.C.

Ramsés

1350 a.C.

Sargão

722 a.C.

Senaqueribe (2 Reis 18)

710 a.C.

Nabucodonosor (2 Reis 24)

606 a.C.

Tolomeu

197 a.C.

Antíoco Epífanes

168 a.C.

Pompeu

63 a.C.

Tito

70 d.C.

Cosroes, rei da Pérsia

614 d.C.

Omar

637 d.C.

 

Índice do Estudo do Fim dos Tempos