A IGREJA DE SARDES - A IGREJA MORTA (1520 d.C. - TribulaÇÃo)
Apocalipse 3:1-6 (cont.)

"Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto."
Jesus faz o elogio mais curto à Sardes do que a todas as outras igrejas de Apocalipse. Alguns teólogos dizem até que nem é bem um elogio. Quando Jesus diz: "conheço tuas obras" isso pode muito bem se referir aos primórdios da reforma Protestante quando houve realmente o contra-ataque de Martin Lutero a Satanás no sentido de oposição ao paganismo existente na igreja. Afinal, eles arriscaram a própria vida para afirmar que a salvação vinha pela fé e não pelas obras, como era imposto por Roma.

"Tens nome de que vives..." é uma frase dita por Jesus à Igreja de Sardes no sentido de que ela teria fama ou reputação, na época, de ser uma igreja fiel a Cristo, principalmente logo após ser fundada. De fato, aqueles que põem a fé em Cristo vivem, mas além disso é necessária a submissão diária a Deus para que a Igreja seja realmente obediente. Algo que não acontecia com a Igreja de Sardes.

Mas Jesus também diz "...e estás morto." referindo à realidade da Igreja de Sardes. Rituais, cerimônias da Igreja de Sardes eram fachada para esconder a verdadeira "vida" em que ela se encontrava - totalmente ineficaz e morta.

"Sê vigilante..."
A expressão "sê vigilante..." denuncia que os ensinamentos vindos da Reforma eram deficientes. Faltava a profecia bíblica e a santificação. Com isso, a promessa e a consciência da volta de Jesus nunca era pregada, simplesmente porque não se ensinava o caráter profético das Escrituras. A conseqüência deste tipo de ensino é a ausência do avivamento na vida do cristão.

"...e consolida o resto que estava para morrer..."
Está mais do que claro que Jesus alerta à igreja para se pregar o avivamento. Isso foi verdade nos primeiros dias da Reforma, mas novamente Satanás investe na contaminação da Igreja e conseguiu temporariamente anular qualquer manifestação de avivamento. Como conseqüência, a situação da humanidade na época era deplorável - orgias, bebedices e violência eram constantes na sociedade da época, principalmente na Inglaterra, e não era diferente dentro de muitas igrejas pós-Reforma da época.

"...porque não tenho achado íntegras as tuas obras na presença do meu Deus."
Jesus confirma que as obras da Igreja de Sardes na realidade não eram autênticas diante de Deus. O fato confirma o período da Reforma, que começou bem, mas depois deixou-se contaminar novamente por pelo menos mais 200 anos após 1520 d.C. Percebe-se claramente que Satanás usa da estratégia da contaminação no Corpo de Cristo para anular o avivamento e a atuação do Espírito Santo na Idade Média.

"Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido..."
A advertência de Jesus é para que a Igreja de Sardes volte às doutrinas e ensinamentos genuínos de se estudar as Escrituras e experimentar do sobrenatural de Deus, bem como depender exclusivamente Dele. No período da Reforma, as Igrejas se tornaram estatais, e satisfaziam muito mais ao Estado do que a Deus.

"...guarda-o e arrepende-te."
Obedecer ao mandamento de Deus é fundamental e era exatamente o que a Igreja de Sardes não fazia. Jesus duramente exorta à Igreja de Sardes a guardar os mandamentos e a arrepender-se. Esse é mais um detalhe muito presente nas igrejas do tempo da Reforma: a contaminação chegou ao extremo.

"Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão, e não conhecerás de modo algum em que hora virei contra ti."
Pelo fato das Igrejas da Reforma não haverem restaurado a sã doutrina e muito menos terem permanecido nela, no dia da Segunda Vinda de Cristo as mesmas serão pegas desprevenidas. É uma advertência seríssima do Senhor Jesus à Igreja de Sardes, porque a própria Palavra afirma que, para a verdadeira Igreja, o dia da Volta de Cristo não deve nos surpreender como ladrão, conforme 1 Tessalonicenses 5:1:

"Mas, irmãos, acerca dos tempos e das épocas não necessitais de que se vos escreva: porque vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como vem o ladrão de noite;"

"Tens, contudo, em Sardes, umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestiduras e andarão de branco junto comigo, pois são dignas."
Mesmo na era da Reforma, havia muitos que eram fiéis a Deus. Mesmo com toda a contaminação e rituais religiosos pagãos esses tinham individualmente o Senhor Jesus como seu único Senhor e Salvador.

Jesus reconhece que esses não mancharam suas vestiduras com o pecado e promete dar a eles a vida eterna e garante que todos que assim se encontram andarão junto com Ele.

O desafio de Jesus Cristo à Igreja de Sardes

"O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas..."
Este é o desafio de Cristo à Igreja de Sardes. Jesus usa novamente a palavra vencedor, cuja base está em 1 João 5:4-5:

"Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?"

A cor branca na Bíblia significa a justiça de Deus. Ou seja, aos vencedores Jesus lhes revestirá de justiça divina. Somente em Cristo somos justificados diante de Deus Pai. Nunca somos justificados em nós mesmos. Em outras palavras, Ele limpa as nossas vestiduras, conforme está em 2 Coríntios 5:21:

"Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus."

"...e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos..."
O Livro da Vida contém o nome de todas as pessoas. Ao contrário do que muitos pensam, o nome de uma pessoa pode sim ser apagado do Livro da Vida. Significa que podemos perder a salvação se continuarmos uma vida de pecados sem querermos demonstrar verdadeiro arrependimento, mesmo após tendo aceitado Jesus como Senhor e Salvador. O próprio Jesus afirma aqui que existe a possibilidade de se apagar nomes do Livro da Vida.

Existem algumas razões que levam uma pessoa a ter seu nome apagado do Livro da Vida:

  1. Pecar contra Deus (Êxodo 32:33)
  2. Pecar contra o Espírito Santo (Marcos 3:29)
  3. Omitir ou alterar as palavras proféticas do livro de Apocalipse (Apocalipse 22:19)

Sem sombra de dúvidas, ter o nome apagado do Livro da Vida significa a morte eterna.

"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas."
Ouvir é prestar extrema atenção às advertências e exortações de Jesus. Portanto, nós como seguidores de Cristo temos que saber ouvir o que o Espírito Santo nos diz, principalmente agora no Final dos Tempos. Que cada um de nós possa sempre pedir a Deus o espírito de sabedoria e revelação, pois é a única maneira de entendermos as coisas do Espírito, conforme Efésios 1:17:

"para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê o espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele;"

 

Índice do Estudo do Livro de Apocalipse