A IGREJA DE FILADÉLFIA - A IGREJA MISSIONÁRIA (1730 d.C. - Arrebatamento)
Apocalipse 3:7-13 (cont.)

"Ao anjo da igreja em Filadélfia escreve: Estas coisas diz o santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi..."
Aqui Jesus expressa sua autoridade máxima. O que tem a chave é o que controla tudo. Portanto, Jesus faz uma referência enfática de sua total autoridade, a mesma que o Nome Dele já exerce hoje sobre todo principado e potestade e a mesma que Ele exercerá em Seu governo milenar, em Seu Aparecimento Glorioso.

"...que abre, e ninguém fechará, e que fecha, e ninguém abrirá:"
Jesus demonstra novamente sua autoridade máxima, conforme Mateus 28:18:

"Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra."

Jesus é o único que abre portas de oportunidade de evangelização que ninguém pode fechar. Marcos 16:15-16 afirma:

"E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado."

Por isso, a Igreja de Filadélfia representa o per~iodo em que o trabalho missionário foi reativado. Por outro lado, Jesus também fecha portas que ninguém (nem o inferno) poderá abrir. Em Mateus 16:18, a Palavra diz:

"Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela."

A igreja que realmente se submete a Cristo tem sempre o poder de fechar as portas do inferno. Quem fecha as portas, é claro que é Cristo, quem edifica a Igreja (Mateus 16:18) . Aqui nos referimos à Igreja que sabe usar a autoridade que Jesus dá a ela em Seu Nome. Filadélfia tinha essa autoridade outorgada por Cristo, porque era fiel a Ele. Existem igrejas hoje que sofrem ataques e desfalques do inferno constantemente. Isso significa que alguma porta do inferno manteve-se aberta por legalidade que Satanás adquire sobre tal. Satanás somente entra e prevalece quando a ele é dada tal legalidade. Por isso, para se fechar a porta, os membros da igreja (líderes e ovelhas) deverão confessar o pecado da igreja a Deus, arrependendo-se e pedindo perdão para que a injustiça (a legalidade inimiga) seja removida, e finalmente a porta seja fechada, tal qual afirma 1 João 1:9:

"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça."

"Conheço as tuas obras — eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar..."
Aqui Jesus afirma que deixou a porta de oportunidade da pregação do Evangelho aberta de contínuo para a Igreja de Filadélfia, conforme Isaías 60:11:

"As tuas portas estarão abertas de contínuo; nem de dia nem de noite se fecharão, para que te sejam trazidas riquezas das nações, e, conduzidos com elas, os seus reis."

"...que tens pouca força..."
Esse versículo quer dizer que a Igreja de Filadélfia era composta por uma congregação pequena. Definitivamente, Deus não se interessa por quantidades, mas por fidelidade. As igrejas pequenas em número de membros têm também visitações grandiosas de Deus. Infelizmente temos visto alguns líderes que, ao verem o número de membros de suas denominações crescerem, acabam perdendo o foco principal em Jesus Cristo e começam a concentrarem-se no que se arrecada em dízimos e ofertas, em formar "impérios" de milhares de membros, e terminam centrando-se em si mesmos.

Principalmente no Brasil, vemos esse "fenômeno" ocorrer com mais freqüência, e vemos também que Deus responde com muito poder às igrejas pequenas.

"...entretanto, guardaste a minha palavra..."
A Igreja de Filadélfia obedeceu à Palavra de Deus. Ela praticou a obediência. As igrejas da Reforma, por exemplo, sejam as da época de 1500 d.C. como as de hoje, crêem mas raramente obedecem à Palavra de Deus.

"...e não negaste o meu nome."
A fidelidade da Igreja de Filadélfia era tamanha que nunca negaram ao Nome de Jesus. Negar ao Nome de Jesus é mais usual do que se pensa. Focalizamos o episódio de Pedro, somente. Mas qualquer distorção na Palavra genuína, qualquer desobediência, qualquer mau exemplo de ovelhas e líderes, constituem também a negação ao Nome de Jesus Cristo. No final dos tempos, veremos ainda mais evidente o contraste entre a pregação do verdadeiro Evangelho e falsos líderes, que semeiam o espírito de antricristo como um vírus, inoculando a igreja evangélica atual.

"Eis farei que alguns dos que são da sinagoga de Satanás, desses que a si mesmos se declaram judeus e não são, mas mentem, eis que os farei vir e prostrar-se aos teus pés e conhecer que eu te amei."
Jesus promete trazer à tona tudo que é oculto e trabalha contra Sua genuína Igreja. Isso virã em forma de julgamento, de espada. Hoje, na Igreja Brasileira, já estamos vendo falcatruas de supostos líderes evangélicos sendo expostas ao público. É assim que Deus limpará as vestes manchadas da igreja atual.

"Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra."
A maior de todas as tribulações sobre a terra ainda está por vir. O período de Tribulaçâo é descrito pela Bíblia como o pior período da história da humanidade, quando o anticristo será o governador mundial por sete anos. Porém, Jesus promete arrebatar a Igreja verdadeira (representada aqui pela Igreja de Filadélfia) antes desse temeroso período. Tudo por causa da fidelidade da Igreja de Filadélfia.

"Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa."
A Jesus reafirma sua Segunda Vinda, para confortar os corações da Igreja Verdadeira. Do ponto de vista histórico, obviamente a Igreja de Filadélfia já não existe, mas Jesus reafirma a esperança de Sua Segunda Vinda aos que permanecerem fiéis até o final. A vigilância se faz necessária para que não haja legalidade dada a Satanás que o permita roubar nossa coroa.

"Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá..."
Coluna significa estabilidade. Somente em Cristo teremos estabilidade, como cristãos. Mesmo que a nossa fé seja provada, seja motivo de chacota de outros, e mesmo que muitos de dentro da própria igreja nos firam na alma, em Cristo estaremos sempre estáveis. Muitos irmãos em Cristo da igreja atual estão doentes, e precisam desta cura interior urgentemente. Não só ovelhas, mas principalmente líderes, que perdem o foco em Cristo, deixam-se seduzir pela posição de liderança que têm, esquecem-se da humildade necessária da liderança de Cristo e querer ser servidos, ao invés de servirem - lição número 1 da liderança de Cristo.

Muitas das feridas que minha esposa Marcia e eu tivemos não foram de pessoas "do mundo", mas vieram de "irmãos" de dentro da própria igreja, que nos julgavam, nos ofendiam, sem ao menos nos conhecer. A falta de respeito ao próximo dentro do Corpo de Cristo atual é algo estarrecedor. Nem "no mundo" se vê tamanha falta de respeito, em alguns episódios. Isso realmente dói e foi um treinamento de Deus muito longo para nós para que pudéssemos curar essas feridas. Por isso, pedimos que todos vocês que lêem esse artigo orem a Deus pela cura de muitos irmãos da IGREJA ATUAL! Glórias a Deus que há exceções também: pessoas realmente comprometidas com o Reino de Deus aqui na terra. Mas isto deveria ser regra, não exceção.

"...gravarei também sobre ele o nome do meu Deus, o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do meu Deus..."
A Palavra de Deus diz em Efésios 1 que somos selados com o Espírito Santo - um sinal visível no mundo espiritual. Isso é exatamente a gravação do nome do Pai em nossas vidas, o que nos dará direito de habitar na Nova Jerusalém, conforme as descrições de Apocalipse 21:9 a 22:6.

"...e o meu novo nome."
O nome de Jesus será gravado nos crentes fiéis como confirmação do selo e para cumprir o que está escrito em Apocalipse 22:3-4:

"Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele."

Estaremos habitando com Jesus e com o Nome Dele gravado em nossas frontes. Aleluia!

" Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito Santo diz às igrejas."
O desejo de Cristo é que sejamos cristãos sensíveis ao que o Espírito Santo tem a nos dizer. Além disto, o desafio de Cristo é que sejamos praticantes da Palavra, além de ouvintes (Tiago 1:22):

"E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos."

 

Índice do Estudo do Livro de Apocalipse