Apocalipse 7 - O avivamento das 144.000 testemunhas judaicas

  1. Depois disto, vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma.
  2. Vi outro anjo que subia do nascente do sol, tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, aqueles aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar,
  3. dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus.
  4. Então, ouvi o número dos que foram selados, que era cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel:
  5. da tribo de Judá foram selados doze mil; da tribo de Rúben, doze mil; da tribo de Gade, doze mil;
  6. da tribo de Aser, doze mil; da tribo de Naftali, doze mil; da tribo de Manassés, doze mil;
  7. da tribo de Simeão, doze mil; da tribo de Levi, doze mil; da tribo de Issacar, doze mil;
  8. da tribo de Zebulom, doze mil; da tribo de José, doze mil; da tribo de Benjamim foram selados doze mil.
  9. Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos;
  10. e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação.
  11. Todos os anjos estavam de pé rodeando o trono, os anciãos e os quatro seres viventes, e ante o trono se prostraram sobre o seu rosto, e adoraram a Deus,
  12. dizendo: Amém! O louvor, e a glória, e a sabedoria, e as ações de graças, e a honra, e o poder, e a força sejam ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém!
  13. Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram?
  14. Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes. Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro,
  15. razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo.
  16. Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum,
  17. pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.

O contexto de Apocalipse 7

Enquanto o capítulo anterior descreve os detalhes do Período de Tribulação pelo qual a terra passará, após o Arrebatamento da Igreja, Apocalipse 7 surpreendentemente nos revela que haverá, em contrapartida, um grande avivamento mundial e a grande colheita de almas nesse mesmo período.

Curiosamente, já vimos muitas igrejas pregarem sobre a Última Colheita e o Grande Avivamento. Sem dúvida, isso ocorrerá, segundo a profecia bíblica, mas não antes do Arrebatamento. Antes do Arrebamento (a época em que estamos agora), o que frequentemente vemos é o oposto: ocorrências de apostasia e engano, dentro e fora da igreja. Isso tudo confirma o que Jesus mencionou em Lucas 18:8:

"...Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?"

O contexto cronológico de Apocalipse 7 afirma que haverá o tão esperado Grande Avivamento, justamente durante o andamento do governo do anticristo. 144.000 testemunhas judaicas de todas as tribos de Israel serão levantadas e muitos aceitarão a Cristo através delas, afrontando diretamente as pretensões satânicas do anticristo.

O começo de Apocalipse 7 também descreve o trabalho dos anjos nesse mesmo período. Eles estão presentes, abrindo cada selo, tocando cada trombeta e derramando cada taça durante cada passo da Tribulação.

Veja também: As 144.000 testemunhas judaicas

"Depois disto, vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma. Vi outro anjo que subia do nascente do sol, tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, aqueles aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar, dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus."
Apocalipse 7 inicia descrevendo o trabalho dos anjos. Os anjos são fundamentais não somente em nosso tempo, mas ainda mais durante a Tribulação. Creio que o versículo que mais descreve e resume a obediência e a excelência dos anjos seja Salmos 103:20:

"Bendizei ao SENHOR, todos os seus anjos, valorosos em poder, que executais as suas ordens e lhe obedeceis à palavra."

Aqui, o trabalho dos anjos basicamente consiste em supervisionar dois pontos importantes:

  1. Controlar os ventos dos quatro cantos da terra: "Depois disto, vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma."
  2. Selar os 144.000 servos de Deus, que serão as 144.000 testemunhas em Seu favor durante a Tribulação.

Estes servos serão ungidos na testa (fronte), como sinal de que estão recebendo autoridade para executar as tarefas divinas durante esse período. Não sabemos como será esse selo em si, mas o texto sugere que seja algo visível, de fácil identificação. Note que, também durante a Tribulação, o diabo usará o falso profeta e o anticristo de modo a implantarem a marca da besta, que também consistirá em sinal visível na testa. Note como o diabo tenta sempre imitar a Deus na tentativa de ludibriar as pessoas.

"Então, ouvi o número dos que foram selados, que era cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel: da tribo de Judá foram selados doze mil; da tribo de Rúben, doze mil; da tribo de Gade, doze mil; da tribo de Aser, doze mil; da tribo de Naftali, doze mil; da tribo de Manassés, doze mil; da tribo de Simeão, doze mil; da tribo de Levi, doze mil; da tribo de Issacar, doze mil; da tribo de Zebulom, doze mil; da tribo de José, doze mil; da tribo de Benjamim foram selados doze mil."
Imediatamente, os 144.000 servos são identificados: 12.000 de cada uma das doze tribos de Israel. Deus confere essa tarefa aos judeus, que nesse período ganharão o mundo colhendo almas para o Senhor. A palavra servo vem do grego doulos - a mesma usada pelos apóstolos Tiago e Paulo para referirem-se a si mesmos como escravos ligados a Cristo. O que podemos concluir é que esses 144.000 judeus selados terão a missão de pregar o evangelho em todo o planeta para trazer almas para Jesus Cristo durante o período de Tribulação. Vocês poderiam imaginar 144.000 iguais ao apóstolo Paulo em ação?

Tribos de Israel

Obviamente, esses 144.000 servos são inspirados por Deus. E os resultados do trabalho desses servos já aparecerão descritos em Apocalipse 7:9, a seguir.

"Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos; e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação."
Esse é o clímax do mnistério de salvação de Deus: Apocalipse 7:9 descreve a maior colheita de almas de todos os tempos. E ela ocorre durante o período de Tribulação, como uma demonstração ao anticristo de que o poder de Deus jamais pode ser impedido. Mais importante ainda, é a forma de Deus mostrar que jamais desistiu da humanidade, nem mesmo durante a Tribulação.

Será uma colheita de almas sem precedentes. O texto detalha uma "grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas". Se mexageros, a impressão que esse texto nos passa é que essa colheita excederá o número de conversões em toda a história da Igreja até o momento. Será uma reedição do Dia de Pentecostes (Atos 2:14-21) em proporções gigantescas.

O texto descreve pessoas de TODAS as nacionalidades e idiomas. Ou seja, os que estavam espalhados ao redor do mundo finalmente serão reunidos. O fato de estarem diante do Cordeiro, e vestidos de vestes brancas confirma que estão redimidos e agora na presença do Senhor Jesus. "E com palmas nas mãos" significa que estão batendo palmas - estão comemorando sua vitória em Cristo. O versículo 10 indica a quem estão batendo palmas e comemorando em alta voz: Jesus Cristo.

"Todos os anjos estavam de pé rodeando o trono, os anciãos e os quatro seres viventes, e ante o trono se prostraram sobre o seu rosto, e adoraram a Deus, dizendo: Amém! O louvor, e a glória, e a sabedoria, e as ações de graças, e a honra, e o poder, e a força sejam ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém!"
Já ouviu dizer que os anjos fazem festa no céu quando uma alma é salva para Jesus Cristo? Em outras palavras, é o que Jesus disse em Lucas 15:7:

"Digo-vos que, assim, haverá maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento."

Exatamente isso está descrito em Apocalipse 7:11-12. Não somente os anjos, mas TODOS no céu estão festejando em júbilo por essa enorme colheita de almas.

"Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram? Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes. Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro..."
No momento em que um dos anciãos pergunta a João quem são todos esses com vestes brancas, João não os reconhece, porque não são conservos da mesma época que ele, senão ele seguramente os teria reconhecido. Como serão pessoas redimidas durante a Tribulação (muito tempo depois), é natural que João não os reconheça. Os versículos 13 e 14 referem-se, portanto, ao futuro.

"...razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo. Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima."
Os versículos de 15 a 17 nos dão informações importantíssimas de onde estão todos esses que foram salvos:

  1. "...razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário..."

O fato dessas pessoas servirem diante do trono de Deus dia e noite, passando a idéia de eternidade, significa que elas estão no céu, e não mais na terra. Para estarem no céu, é porque morreram. Isso significa que as milícias do anticristo as perseguiram e mataram porque elas não negaram a Jesus Cristo.

  1. "...e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo."

Essa é uma extensão da mesma promessa implícita em 1 Tessalonicenses 4:17:

"...e, assim, estaremos para sempre com o Senhor."

Todos os que aceitam a Jesus Cristo como Senhor e Salvador tem a promessa de viver com Ele eternamente, mesmo após a morte.

  1. "Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida."

O versículo indica que essas pessoas muito provavelmente foram submetidas a condições extremas, subhumanas aqui na terra, por não se curvarem ao anticristo. Mesmo assim não negaram a Jesus, foram mortas por causa Dele, mas agora desfrutam da verdadeira paz e alegria eternas em Cristo.

  1. "E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima."

Por mais que pensemos que traumas psicológicos que criaram feridas em nossas vidas ficarão lá para sempre, Deus garante que literalmente enxugará TODAS as lágrimas dos olhos dos que estão Nele. É a promessa vida eterna com Ele, onde não haverá lugar para tristeza. Mesmo os que passarão por grande sofrimento durante o período de Tribulação, essa promessa é garantida por Deus.

Creio que a grande lição que fica para nós de Apocalipse 7 e a de que jamais devemos desistir de Jesus Cristo. Os versículos acima demonstram que Deus move céus e terra em favor de nossa salvação.

 

Índice do Estudo do Livro de Apocalipse