Apocalipse 5 - Cristo recebe a glÓria no cÉu

  1. Vi, na mão direita daquele que estava sentado no trono, um livro escrito por dentro e por fora, de todo selado com sete selos.
  2. Vi, também, um anjo forte, que proclamava em grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de lhe desatar os selos?
  3. Ora, nem no céu, nem sobre a terra, nem debaixo da terra, ninguém podia abrir o livro, nem mesmo olhar para ele;
  4. e eu chorava muito, porque ninguém foi achado digno de abrir o livro, nem mesmo de olhar para ele.
  5. Todavia, um dos anciãos me disse: Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos.
  6. Então, vi, no meio do trono e dos quatro seres viventes e entre os anciãos, de pé, um Cordeiro como tendo sido morto. Ele tinha sete chifres, bem como sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados por toda a terra.
  7. Veio, pois, e tomou o livro da mão direita daquele que estava sentado no trono;
  8. e, quando tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos,
  9. e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação
  10. e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra.
  11. Vi e ouvi uma voz de muitos anjos ao redor do trono, dos seres viventes e dos anciãos, cujo número era de milhões de milhões e milhares de milhares,
  12. proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor.
  13. Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos.
  14. E os quatro seres viventes respondiam: Amém! Também os anciãos prostraram-se e adoraram.

O contexto de Apocalipse 5

Apocalipse 5 tem uma curiosidade. No texto original em grego, o versículo 1 começa com a palavra grega kai, cujo significado é "e" ou "então", confirmando que o assunto tratado neste capítulo é realmente continuação do que já estava sendo narrado em Apocalipse 4. Parece até óbvio demais e um tanto sem importância mencionar este detalhe. Entretanto, a sequência cronológica do Livro de Apocalipse é interrompida em Apocalipse 12, em que os seus 17 versículos fazem um flash-back e resumem todo o Novo Testamento, desde o nascimento de Jesus Cristo, até a guerra espiritual do fim dos tempos. Aliás, pensar que TODOS os capítulos de do livro de Apocalipse estejam em sequência cronológica é incorreto. Existem superposições de eventos várias vezes, o que é importantíssimos para nos situarmos no andamento dos acontecimentos. Ao longo deste estudo, será possível perceber onde há sequência e onde não há.

As atenções de João, em Apocalipse 5, passam da visão do Trono de Deus a um objeto em sua mão direita - um rolo selado com sete selos.

"Vi, na mão direita daquele que estava sentado no trono, um livro escrito por dentro e por fora, de todo selado com sete selos."
Ainda que a versão Almeida Revista e Atualizada descreva o objeto como um livro, trata-se de um rolo, na realidade. As versões NVI e NTLH trazem uma descrição mais precisa do objeto que João viu na mão de Deus:

"Então vi na mão direita daquele que está assentado no trono um livro em forma de rolo, escrito de ambos os lados e selado com sete selos." (NVI)

Este rolo tem três características:

  1. Encontra-se na mão direita de Deus;
  2. Estava escrito em ambos os lados;
  3. Estava selado com sete selos.

Não há dúvida, por conta dos versículos seguintes, de que este rolo é importantíssimo e determinante para a história da humanidade deste ponto em diante.

"Vi, também, um anjo forte, que proclamava em grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de lhe desatar os selos? Ora, nem no céu, nem sobre a terra, nem debaixo da terra, ninguém podia abrir o livro, nem mesmo olhar para ele; e eu chorava muito, porque ninguém foi achado digno de abrir o livro, nem mesmo de olhar para ele."
Como consequência da impossibilidade e da tristeza de não haver um ser humano digno de abrir este rolo, João chora desesperadoramente, por temer o que ocorreria com o destino da humanidade. Ao que tudo indica, o rolo representa a posse, a legalidade, o direito de governo sobre toda a terra e seus habitantes e João chora desesperado porque ninguém é capaz de abrir este documento e retomar a posse da terra.

Na realidade, o direito de governar sobre a terra havia sido dado por Deus a Adão, que pecou e entregou o direito à serpente, Satanás.Muitos não prestam atenç ão a um detalhe que Satanás disse a Jesus no episódio da tentação de 40 dias no deserto. Vejam o que ele arrogantemente diz a Jesus em Lucas 4:6:

"Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser."

Em outras palavras, o diabo disse a Jesus: "Eu tenho a posse, o direito de governar sobre a humanidade, e dou a quem bem entendo". João sabia muito bem disso e por isso chorava profundamente. Entretanto, Jesus veio para desfazer as obras do diabo (1 João 3:8). E João é consolado imediatamente...

"Todavia, um dos anciãos me disse: Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos. Então, vi, no meio do trono e dos quatro seres viventes e entre os anciãos, de pé, um Cordeiro como tendo sido morto. Ele tinha sete chifres, bem como sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados por toda a terra."
Imediatamente João é consolado e suas lágrimas enxutas. Jesus Cristo É DIGNO de abrir este rolo. Aleluias! João visualiza um Cordeiro que parece ter sido sacrificado, tinha sete chifres, sete olhos e sete Espíritos. Aqui estão as características do Senhor Jesus nestes versículos:

  1. O Leão da Tribo de Judá: Que título tremendo! O leão sempre foi considerado o rei dos animais desde a antiguidade e Judá a tribo governante de Israel. Até mesmo no Velho Testamento, quando o assunto era guerrear e vencer o inimigo, Judá subia primeiro:

"E levantaram-se os filhos de Israel, e subiram a Betel, e perguntaram a Deus, e disseram: Quem dentre nós subirá primeiro a pelejar contra Benjamim? E disse o SENHOR: Judá subirá primeiro." (Juízes 20:18)

Aqui está a natureza sempre vencedora de Jesus Cristo: Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, literalmente.

  1. A Raiz de Davi: A referência de que Jesus veio da descendência de Davi (Mateus 1).
  2. Um Cordeiro como tendo sido morto: Quando Jesus morreu na cruz, ganhou de volta a autoridade absoluta sobre a terra (Filipenses 2:6-11). Na sua primeira vinda, Jesus foi sacrificado para salvar a humanidade e reconciliá-la com Deus - veio como Cordeiro. Agora, em Sua Segunda Vinda, Jesus retornacomo o Leão que tem o direito de julgar a tudo e todos na terra. Deus Pai deu a total autoridade de julgamento ao Filho Jesus, conforme João 5:22-23:

"E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento, a fim de que todos honrem o Filho do modo por que honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o enviou."

  1. Tinha sete chifres: Calma! Não se assustem. Toda vez que lemos a palavra chifre, ja a associamos ao anticristo, não é verdade?Na realidade, o chifre, na Bíblia, significa muitas vezes autoridade. E a Jesus foi dada toda a autoridade nos céus e na terra:

"Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra." (Mateus 28:18)

É importante relembrarmos sempre qual era o ponto de vista de João no livro de Apocalipse. Muitas vezes, ele narrava visões no mundo espiritual, e outras, no mundo físico. Aqui ele está claramente tendo uma visão do mundo espiritual, onde os sete chifres representam a autoridade máxima de Jesus sobre tudo.

  1. Sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados por toda a terra: Os sete olhos são o caratér de juiz de Jesus Cristo, que vem julgar baseado nos sete ministérios do Espírito Santo (clique aqui para saber mais sobre os sete Espíritos de Deus). Quando Jesus voltar, Ele saberá tudo os que os seres humanos fizeram ou pensaram. Toda obra será julgada. Lembre-se de que sete é o número da perfeição de Deus, e por isso o julgamento de Jesus será perfeito.

"Veio, pois, e tomou o livro da mão direita daquele que estava sentado no trono; e, quando tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos..."
Jesus toma o rolo com sete selos da mão de Deus e, neste exato momento, todos os seres angelicais se prostram diante Dele, reconhecendo Suas magníficas e incontestáveis autoridade e dignidade de abrir este rolo. Os seres angelicais tem os seguintes objetos em suas mãos:

  1. Harpas, o que confirma a existência de louvor e adoração a Jesus nos Céus
  2. Taças de ouro cheias das orações dos santos. Se você pensa que suas orações não chegam aos Céus, então anime-se. Cada pequena oração sua, mesmo aquela que você "acha" que não foi atendido, é registrada e conhecida nos Céus dentro de taças nobres, de ouro. João visualiza as orações em forma de incenso dentro das taças, confirmando a descrição de Salmos 141:2:

"Suba à tua presença a minha oração, como incenso, e seja o erguer de minhas mãos como oferenda vespertina."

João literalmente tem uma visão impressionante e maravilhosa do mundo espiritual.

"...e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra."
Todos os seres celestias começam a cantar este cântico maravilhoso, confirmando que Jesus é o único digno de abrir os selos do rolo. Jesus é confirmado nos Céus o Senhor dos senhores, cujo sangue resgatou toda a humanidade, tirando-a do domínio de Satanás. O cântico indica que Jesus é digno por três razões:

  1. Porque foste morto: Uma referência claríssima à obra de Cristo na cruz do Calvário;
  2. Com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação: Mesmo aqueles que ainda não ouviram falar de Jesus nos nossos dias atuais, terão a promessa de pelo menos ouvir acerca do amor e da Salvação de Jesus por eles. Talvez alguns aqui se confundam, pensando que todos aceitarão Jesus no fim dos tempos. Não é isso. A salvação é individual e depende do libre-arbítrio de quem ouve a Palavra. Aqui o versículo diz que o evangelho será pregado até nos confins da terra. Por isso, o trabalho missionário é tão importante, e cada crente ao redor da terra deveria investir financeiramente nesta obra. Muitos ainda precisam ouvir falar de Jesus, e o tempo é pouco!
  3. Para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra: É assim que Deus enxerga a mim e a você em Seu Reino, como reis e sacerdotes. No final dos tempos, Deus restaurará o Tabernáculo de Davi, e somos os escolhidos para iniciar esta adoração contínua e autêntica tal qual era neste Tabernáculo. Todos sabemos que Davi foi rei. No entanto, 1 Crônicas 16:1-4 também afirma que Davi oferecia holocaustos e sacrifícios pacíficos no Tabernáculo, o que confirma que ele foi, ao mesmo tempo, rei e sacerdote. Clique aqui e saiba mais sobre a Restauração do Tabernáculo de Davi no fim dos tempos.

"Vi e ouvi uma voz de muitos anjos ao redor do trono, dos seres viventes e dos anciãos, cujo número era de milhões de milhões e milhares de milhares, proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor."
O tamanho do coro dos anjos a uma só voz era impressionante e seguramente indescritível com palavras: milhões de milhões e milhares de milhares! Na realidade, João nem podia contar o número de anjos participantes deste episódio lindo de adoração a Jesus Cristo nos Céus. Fico a imaginar, se é que seja possível com minha mente humana limitada, o estrondo maravilhoso de vozes adorando a Jesus Cristo neste momento.

A adoração é tudo na vida de um cristão. Adorar é o estágio de batalha espiritual mais elevado, porque você está reconhecendo que Jesus é o único digno de adoração. É onde você vence o inimigo. O que faz o diabo, na realidade , é chamar para si a adoração que deveria ser dada a Jesus. Por isso, o diabo engana a tantos e se alimenta da adoração de muitas pessoas. Quando você adora Jesus de forma autêntica, os anjos do Senhor descem dos Céus e vem ao seu lado, e todo este poder ofusca e expulsa qualquer tentativa do inimigo contra a sua vida.

Jesus recebe sete coisas durante esta adoração: poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória, e louvor. Sem dúvida, isso ultrapassa qualquer homenagem que se poderia dar a um ser humano, mortal.

"Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos. E os quatro seres viventes respondiam: Amém! Também os anciãos prostraram-se e adoraram."
É a continuação desta adoração maravilhosa dada a Jesus pelos seres celestiais. Até aqui, já podemos entender e reconhecer plenamente a autoridade MÁXIMA de Jesus Cristo. Para terminar esta descrição de Apocalipse 5, creio que nada melhor do que citar Filipenses 2:9-11 para descrever quem é Jesus Cristo em nossas vidas!

"Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai."

 

Índice do Estudo do Livro de Apocalipse