Apocalipse 4 - JoÃo É levado ao cÉu


  1. Depois destas coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui, e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas.
  2. Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado;
  3. e esse que se acha assentado é semelhante, no aspecto, a pedra de jaspe e de sardônio, e, ao redor do trono, há um arco-íris semelhante, no aspecto, a esmeralda.
  4. Ao redor do trono, há também vinte e quatro tronos, e assentados neles, vinte e quatro anciãos vestidos de branco, em cujas cabeças estão coroas de ouro.
  5. Do trono saem relâmpagos, vozes e trovões, e, diante do trono, ardem sete tochas de fogo, que são os sete Espíritos de Deus.
  6. Há diante do trono um como que mar de vidro, semelhante ao cristal, e também, no meio do trono e à volta do trono, quatro seres viventes cheios de olhos por diante e por detrás.
  7. O primeiro ser vivente é semelhante a leão, o segundo, semelhante a novilho, o terceiro tem o rosto como de homem, e o quarto ser vivente é semelhante à águia quando está voando.
  8. E os quatro seres viventes, tendo cada um deles, respectivamente, seis asas, estão cheios de olhos, ao redor e por dentro; não têm descanso, nem de dia nem de noite, proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir.
  9. Quando esses seres viventes derem glória, honra e ações de graças ao que se encontra sentado no trono, ao que vive pelos séculos dos séculos,
  10. os vinte e quatro anciãos prostrar-se-ão diante daquele que se encontra sentado no trono, adorarão o que vive pelos séculos dos séculos e depositarão as suas coroas diante do trono, proclamando:
  11. Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas.

O contexto de Apocalipse 4

O que é muito interessante em Apocalipse 4, além da descrição gloriosa que João começa a fazer sobre o céu, é a ordem cronológica em que este capítulo está situado. Aqui, João é arrebatado em espírito e vai até o terceiro céu, onde está o trono de Deus. Esta subida de João é uma figura do que será o Arrebatamento da Igreja. Embora João tenha tido a experiência de ter sido arrebatado ao céu, ele não foi o único a passar por isto. Paulo também descreve a mesma experiência, em 2 Coríntios 12:2-9:

"Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até ao terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) e sei que o tal homem (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir. De tal coisa me gloriarei; não, porém, de mim mesmo, salvo nas minhas fraquezas. Pois, se eu vier a gloriar-me, não serei néscio, porque direi a verdade; mas abstenho-me para que ninguém se preocupe comigo mais do que em mim vê ou de mim ouve. E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo."

O propósito de Paulo ter sido arrebatado era mostrar que aquilo que olhos e ouvidos nunca ouviram, é o que Jesus tem preparado para Sua Igreja nos céus. No caso de João, o propósito de Jesus era explicar os acontecimentos futuros, entre Apocalipse 4 e 18. E somente após João ser arrebatado, ele então começa a descrever o período de Tribulação que ocorrerá aqui na terra. Ao longo da explicação de cada versículo, estes detalhes serão mais clarificados.

Percebam que é o próprio Senhor Jesus quem convida João a subir. Assim será também com a Igreja durante o Arrebatamento. Embora Apocalipse 4 não descreva explicitamente os detalhes do Arrebatamento da Igreja (clique aqui para saber tais detalhes), o coloca em ordem cronológica, depois da era das Igrejas descritas entre Apocalipse 2 e 3. Existem quatro razões que sugerem um Arrebatamento pré-tribulacionista (clique aqui para saber sobre as posições pré, meso e pós-tribulacionistas do Arrebatamento). São elas:

  1. A localização do Arrebatamento em Apocalipse 4 e 5 é adequada, porque descreve uma visão dos céus e logo após, Apocalipse 6 começa a descrever o período de Tribulação.
  2. Entre Apocalipse 4 e 18 não se menciona absolutamente mais nada sobre a Igreja, indicando que a mesma não se encontrará na terra durante a Tribulação. Existem 16 referências sobre a Igreja entre Apocalipse 1 e 3 e nenhuma entre Apocalipse 4 e 18, que são os capítulos que falam sobre a descrição dos céus e sobre a Tribulação. Os 2000 anos da história da Igreja concentram-se entre Apocalipse 2 e 3. E, ao estudar estas Igrejas, elas representam não somente sete períodos da história das mesmas, mas também sete descrições atuais tanto da Igreja atual, como de cada cristão. Percebam que descrições de Igrejas que se encaixam nos moldes de Sardes e Laodicéia, por exemplo, não se encaixam nas exigências de Jesus para subirem aos céus com Ele e seus comportamentos afastados do verdadeiro Evangelho as fazem passar pela Tribulação. Portanto, a associação de Apocalipse 4 ao Arrebatamento da Igreja diz respeito à verdadeira Igreja, que opera em santidade e obediência a Deus aqui na terra. Estude mais sobre as igrejas de Apocalipse clicando aqui.
  3. O uso dos termos e símbolos do Antigo Testamento entre Apocalipse 4 e 18 descrevem o cenário de Israel, e não da Igreja. Alguns dos símbolos são o tabernáculo de Davi, a arca da aliança, os anciãos, os incensários, os querubins, os selos, as trombetas e as pragas. Portanto, outro indício da Igreja ausente neste período. A referência a Israel é proposital, porque a Tribulação também será o período em que Deus restaurará completamente Israel. Ele cumprirá a restauração de todas as coisas, cumprindo as três fases (ou três tempos) descritas Atos 3:19-21 para os judeus e para os gentios:

"Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus, ao qual é necessário que o céu receba até aos tempos da restauração de todas as coisas, de que Deus falou por boca dos seus santos profetas desde a antiguidade."

  1. Existe muita semelhança entre os acontecimentos descritos em Apocalipse 4:1-2 e as descrições completas do Arrebatamento como, por exemplo, 1 Tessalonicenses 4:13-18 (clique aqui para mais detalhes).

 

Índice do Estudo do Livro de Apocalipse