Apocalipse 13 - A besta (o anticristo) e o falso profeta

Apocalipse 13

  1. Vi emergir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças e, sobre os chifres, dez diademas e, sobre as cabeças, nomes de blasfêmia.
  2. A besta que vi era semelhante a leopardo, com pés como de urso e boca como de leão. E deu-lhe o dragão o seu poder, o seu trono e grande autoridade.
  3. Então, vi uma de suas cabeças como golpeada de morte, mas essa ferida mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou, seguindo a besta;
  4. e adoraram o dragão porque deu a sua autoridade à besta; também adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?
  5. Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias e autoridade para agir quarenta e dois meses;
  6. e abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para lhe difamar o nome e difamar o tabernáculo, a saber, os que habitam no céu.
  7. Foi-lhe dado, também, que pelejasse contra os santos e os vencesse. Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação;
  8. e adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.
  9. Se alguém tem ouvidos, ouça.
  10. Se alguém leva para cativeiro, para cativeiro vai. Se alguém matar à espada, necessário é que seja morto à espada. Aqui está a perseverança e a fidelidade dos santos.
  11. Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão.
  12. Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada.
  13. Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens.
  14. Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu;
  15. e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta.
  16. A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte,
  17.  para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome.
  18. Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis.

O contexto de Apocalipse 13

Apocalipse 13 fala sobre um personagem alvo de inúmeros estudos bíblicos - o anticristo. Este capítulo também fala sobre o falso profeta, que é o ajudador do anticristo durante o seu governo. Além disso, Apocalipse 13 também nos dá detalhes de como será o governo, ou os sistemas governamental e religioso implantados pelo anticristo durante o período de Tribulação.

A palavra anticristo significa literalmente, oposição a Cristo. Será, portanto, alguém levantado por Satanás para fazer oposição extrema a Jesus Cristo e seus seguidores.

O anticristo, na realidade, recebe vários títulos ao longo das Escrituras. Aqui estão os mais significativos:

  1. O pequeno chifre (Daniel 7:8 e 8:9)
  2. Um rei de face feroz e especialista em intrigas (Daniel 8:23)
  3. Um príncipe que há de vir (Daniel 9:26)
  4. Um rei poderoso (Daniel 11:36)
  5. O filho da perdição, ou o homem da iniquidade (2 Tessalonicenses 2:3-8)
  6. O anticristo (1 João 2:18)
  7. A besta que emergiu do mar (Apocalipse 13:1)

Dentre todos, o título mais significativo é o "filho da perdição", pois foi o mesmo título usado por Jesus para referir-se a Judas Iscariotes, em João 17:12:

"Enquanto eu estava com eles, eu os guardava no teu nome que me deste; e os conservei, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que se cumprisse a Escritura."

Também em 2 Tessalonicenses 2:4, Paulo descreve o objetivo exato do anticristo:

"...o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus."

Além de opor-se a Deus, o anticristo tere por objetivo tomar o lugar de Deus, o que é e sempre foi o desejo de Satanás desde o início, razão pela qual ele caiu (leia Isaías 14 e Ezequiel 28 para mais detalhes).

Antes de continuar este estudo, consulte os seguintes artigos para mais detalhes sobre o anticristo:

  1. O anticristo
  2. O perfil do anticristo
  3. A perseguição aos cristãos e os contrastes entre Jesus Cristo e o anticristo
  4. O falso profeta
  5. A marca da besta

Também é necessário que entendamos quais são as atividades futuras do anticristo:

  1. Sua ascensão ao poder: o anticristo não chegará ao poder por acaso, ou repentinamente. Ele terá que ganhar prestígio político para isso. De acordo com Apocalipse 6:2, ele aparecerá no fim dos tempos e assumirá o poder pela diplomacia. Significa que terá apoio político mundial para atingir o topo do poder
  2. Seu governo mundial: conforme previsto em Daniel 2, os dez dedos da estátua do sonho de Nabucodonosor (veja o artigo: A primeira metade da Tribulação). Apocalipse 17:12-13 sugere que os governantes não conseguirão estabelecer a paz mundial por si próprios, por isso "oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem"
  3. Seu domínio sobre a economia mundial: O anticristo também controlará a economia mundial. Quando o Apocalipse 17:13 menciona que os governantes mundiais "oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem", isso significa TODO o poder mundial, inclusive o da economia. Esse controle será ainda mais rígido com a criação da marca da besta
  4. Sua religião ateísta: As passagens de Daniel 11:36-39 e 2 Tessalonicenses 2:1-12 indicam que o anticristo será afrontador de Deus. Ele terá especial preocupação em opor-se a Jesus Cristo desde o início e criará, através do falso profeta, um sistema religioso mundial ateísta
  5. Sua aliança com Israel: Daniel 9:27 diz que o anticristo fará aliança (acordo de paz) de sete anos com Israel, e quebrará o acordo na metade desse período (três anos e meio)
  6. Sua morte e falsa ressurreição: com a ascensão do mal antes e durante a Tribulação, o diabo terá poder para efetuar sinais e prodígios de mentira (2 Tessalonicenses 9). Com isso, na metade da Tribulação, após o anticristo ser finalmente assassinado, ele "ressuscitará" pela eficácia de Satanás, imitando a Jesus Cristo para continuar seu governo. Leia esse artigo para mais detalhes dessa falsa ressurreição do anticristo)
  7. Sua destruição final: A passagem de 2 Tessalonicenses 2:8 afirma que Jesus derrotará o anticristo "com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda". Em Seu Aparecimento Glorioso, no fim dos sete anos de Tribulação, Jesus voltará e derrotará finalmente o anticristo, revelando ao mundo a extrema superioridade do poder de Deus.

"Vi emergir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças e, sobre os chifres, dez diademas e, sobre as cabeças, nomes de blasfêmia. A besta que vi era semelhante a leopardo, com pés como de urso e boca como de leão. E deu-lhe o dragão o seu poder, o seu trono e grande autoridade."
Existe muita controvérsia sobre a identidade da besta. Alguns afirmam que ela será um reino e não um rei. Outros afirmam que será um sistema religioso por conta da descrição da prostituta montada sobre uma besta semelhante em Apocalipse 17.

De fato, não é a primeira vez que o Espírito Santo usa o símbolo "besta" para referir-se a um rei ou a um reino. Em Daniel 7, vemos vários usos desse símbolo para referir-se aos governos futuros que viriam sobre o mundo. Em Daniel 2:38, o profeta remete o reino à própria pessoa do rei Nabucodonosor: "Tu és a cabeça de ouro".

Conforme o artigo de Dr. David L. Cooper (An exposition of Book of Revelation - The Great Parenthesis (11:15-15-8), Biblical Research Monthly, 20 (May, 1954) p.84),  há uma dica interessante para solucionar a dúvida de quando o símbolo "besta" refere-se a um reino ou à pessoa de um rei: quando o foco do versículo encontra-se sobre a pessoa de um rei, então o termo "besta" refere-se à pessoa. Quando não é esse o contexto, então o Espírito Santo nos faz olhar para todo um reino ou sistema de governo referido no versículo.

Sendo assim, facilita-nos um pouco mais analisar a besta de Apocalipse 13:1-2: ela possui tanto descrições de uma pessoa quanto de um sistema de governo.

Talvez as sete cabeças sejam a parte mais difícil de se descrever. Já os dez chifres correspondem aos dez dedos da estátua descritos em Daniel 2: correspondem a dez reis ou governantes que apoiarão o anticristo e darão a ele todo o poder que possuem durante o período de Tribulação.

Os quatro animais representam os quatro grandes impérios mundiais ao longo da história. As quatro bestas em Daniel 7 são de onde encontramos referências às aparências de animais descritas aqui:

  1. Leão: corresponde ao Império Babilônico
  2. Urso: corresponde ao Império Medo-Persa
  3. Leopardo: corresponde ao Império Grego
  4. Um quarto animal não descrito: corresponde ao Império Romano

Perceba que Daniel começa com a descrição do leão até a do leopardo. E João, aqui em Apocalipse 13, faz o caminho inverso. Isso justamente porque Daniel olhava para o futuro, e já na época de João, esses impérios já eram do passado e o Império Romano era o presente.

As sete cabeças são a parte mais controversa e o que vamos escrever é baseado no que já houve de pesquisas escritas a respeito:

  1. Uns sugerem que podem corresponder a sete reis (imperadores) do Império Romano. Até a época de João, cinco reis já haviam aparecido. Domiciano era o da época de João e então, ocorreria um salto na história até o período de Tribulação em que o anticristo será o tal "sétimo rei"
  2. Outros sugerem que podem correspondem a sete fases pelas quais o Império Romano passaria e a sétima seria a besta não descrita em Daniel 7 que seria então o sistema de governo do anticristo a ocorrer durante a Tribulação.

Fato é que não há descrição 100% precisa nesse aspecto. Por isso, expomos as possibilidades de interpretação.

Apocalipse 13:1 afirma que a besta emerge do mar. Toda vez que "mar" aparece na Bíblia, corresponde ao Mar Mediterrâneo, ao menos que haja uma explicação simbólica para o contexto em que a palavra é mencionada, como é o caso aqui. A palavra "mar" pode referir-se a pessoas - um "mar" de pessoas, ou outro povo, ou povo estrangeiro. Nesse caso, o que se pode afirmar é que o anticristo surgirá do povo que vive em regiões do Mar Mediterrâneo, o que vai corresponder à nacionalidade do anticristo.

"Então, vi uma de suas cabeças como golpeada de morte, mas essa ferida mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou, seguindo a besta..."
É muito provável que haja pessoas contra o anticristo durante a Tribulação e tentem matá-lo. O versículo afirma que o anticristo ganhará uma ferida mortal. Daniel 7:24 nos diz que três dos dez reis se rebelarão contra o anticristo, ou seja, não estarão de acordo com sua dominação mundial e serão mortos por ele:

"E, quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis; e depois deles se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis."

Pode ser que alguns dos reis consiga matá-lo. Entretanto a ferida mortal será curada, simulando uma "morte e ressurreição" do anticristo, fazendo todos o adorar ainda com mais intensidade após tal episódio. Leia esse artigo para mais detalhes dessa falsa ressurreição do anticristo).

Apocalipse 17:8 afirma que a anticristo "estava vivo, mas agora não vive mais. Ele está para subir do abismo, e dali sairá..." (NTLH). Significa que sua alma descerá ao abismo, mas voltará de lá. Lembre-se de que ele é o anticristo, e tentará imitar tudo o que Jesus fez para poder ganhar seguidores. 2 Tessalonicenses 2 também afirma que o anticristo operará sinais de grande mentira para enganar a todos.

"...e adoraram o dragão porque deu a sua autoridade à besta; também adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?"
Depois de presenciarem a morte e falsa ressurreição do anticristo, é provável que muitos indecisos agora optem por seguir e adorar o anticristo.

"Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias e autoridade para agir quarenta e dois meses;e abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para lhe difamar o nome e difamar o tabernáculo, a saber, os que habitam no céu."
Toda blasfêmia contra Deus tem como autor Satanás. Isso porque Isaías 14 revela seu desejo secreto de ser adorado pelas outras criaturas, que então adoravam a Deus. Aqui, nota-se que a intensidade da blasfêmia contra o nome de Deus será máxima após o episódio da falsa ressurreição do anticristo. Ele se autodenominará Deus (2 Tessalonicenses 2:4). O poder dado a ele por Satanás o fará parecer que seja Deus e assim mentirá enganando a muitos durante os três anos e meio restantes da Tribulação.

"Foi-lhe dado, também, que pelejasse contra os santos e os vencesse. Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação..."
Durante o período de Tribulação, serão dois os focos do anticristo: governar todos os países do mundo e perseguir os cristãos, os santos do Senhor. Perceba que hoje já existe uma preparação para um modelo de governo mundial. Economias e moedas unificadas, globalização de culturas e comércios. O espírito do anticristo já está em curso preparando o cenário.

Em Apocalipse 12, vimos que até mesmo Israel sofrerá perseguições por parte de Satanás, em resposta principalmente à eficácia de conversão de judeus a Cristo por parte das 144.000 testemunhas judaidas. Portanto, podemos concluir que o governo do anticristo terá rígido controle sobre as nações e, ao mesmo tempo, lançará uma gigantesca campanha de perseguição aos cristão.

"...e adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo. Se alguém tem ouvidos, ouça. Se alguém leva para cativeiro, para cativeiro vai. Se alguém matar à espada, necessário é que seja morto à espada. Aqui está a perseverança e a fidelidade dos santos."
O objetivo do diabo sempre foi roubar ou receber a adoração que deveria ser dada a Deus. Note que, durante o andamento do período de Tribulação, isso ficará ainda mais evidente. Está em disputa a adoração da humanidade e para onde tal adoração deve ir. O diabo, através do anticristo, tentará tudo para receber a adoração dos seres humanos. Durante o período, ele a consegue de muitos que ainda estão indecisos fazendo com que seus nomes nunca sejam confirmados no Livro da Vida do Cordeiro (o livro de Jesus Cristo), porque o anticristo será um falso deus em carne e osso visível a todos. E o ser humano tem a forte tendência de crer naquilo que vê. Novamente, outra oposição a Cristo ocorre. Hebreus 11:1 afirma:

"Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem."

Entretanto, Apocalipse 13:10 alerta de que, mesmo que sejam mortos pelo anticristo, os santos devem perseverar em sua fidelidade a Deus e não devem ceder à pressão de Satanás durante o período.

"Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão. Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada."
Surge aqui outro personagem que atuará durante a Tribulação: o falso profeta, ou a "outra besta" que surge da terra. Em Mateus 24, Jesus alertou várias vezes sobre o surgimento de falsos profetas.

O falso profeta será o "ajudador" do anticristo, ou seja, realizará todo o trabalho religioso para garantir que o anticristo seja adorado pelos seres humanos durante a Tribulação. Alguns sugerem que como a besta emerge da terra (e não do mar, como foi o caso do anticristo), a nacionalidade do falso profeta seja judeu, ou pelo menos seja originário da região da Palestina. Seguem outrass características do falso profeta:

  • Os dois chifres: uma falsa alusão ao Cordeiro. Cordeiro não tem chifres, mas o falso profeta terá uma figura parecida (obviamente para enganar), porém com dois chifres de falsa autoridade espiritual. Isso confirma o que Jesus mencionou em Mateus 7:15:

"Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores."

  • Fala como dragão: terá pele de cordeiro, mas falará sempre em nome de Satanás, para enganar os seres humanos e remeter sua adoração (que deveria ir para Deus) ao diabo
  • Exerce toda a autoridade da primeira besta em sua presença: será o ajudador do anticristo, exercendo sua autoridade perante outros líderes, garantindo que o governo do anticristo tenha êxito religioso
  • Faz com que a terra e seus habitantes adorem a primeira besta: focará sempre em garantir que a adoração dada ao anticristo como deus seja total

Podemos então perceber que novamente Satanás tenta imitar a Deus, estabelecendo uma espécie de "trindade satânica" durante o período de Tribulação:

  1. Satanás tentando exercer o papel de Deus
  2. O anticristo tentando usurpar o lugar de Jesus, o Único e Verdadeiro Cristo
  3. O falso profeta, exercendo a função de ajudador, assim como o papel do Espírito Santo na Verdadeira Trindade Divina

Leia também o artigo: o falso profeta.

"Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens."
O falso profeta também operará falsos prodígios e milagres em nome do diabo, confirmando outra vez 2 Tessalonicenses 2:9:

"Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira..."

Fará fogo descer dos céus, assim como os profetas do Velho Testamento (veja a imitação ao poder de Deus novamente).

"Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu; e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta."
Esse versículo indica a função do falso profeta em garantir que o anticristo seja adorado religiosamente pelas pela população mundial. Aqui, repete-se o que Nabucodonosor fez durante seu império Babilônico: o falso profeta manda construir uma estátua (ídolo) com tecnologia suficiente para que essa estátua fale e possua poder de matar os que passassem diante dela e não a adorasse. Hoje dispomos de perfeita tecnologia para se executar esse tipo de projeto, através de robótica etc.

"A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome. Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis."
O que chama a atenção em primeiro lugar nesses versículos é o número da besta, ou 666. Esse número é usado atualmente de forma explícita ou subliminar por toda organização, indivíduo, empresa etc. que tenha pacto com Satanás. Quando não empregam o 666, usam o mesmo número em forma condensada, como o algarismo 9 (nove), que é a soma numerológica dos algarismos 6+6+6. E aqui é onde gira todo tipo de polêmica e controvérsia a respeito do que significa esse número. O que significa, em meu ponto de vista, não é o mais importante, porque é justamente o que organizações e seitas satânicas ensinam, e é claro que não é o nosso propósito aqui.

Mais importante que isso, é saber que 666 é uma representação matemática que indicará a presença do anticristo ou de indícios de que seu sistema está se formando. Leia o artigo A marca da besta para mais detalhes de como o 666 pode aparecer de forma subliminar, entre outras informações.

Os versículos também indicam que haverá uma marca que todos receberão na mão direita ou na testa, para poder comprar ou vender. A tecnologia já existe. Hoje as tecnologias de biochip podem muito bem exercer tal função, em que são introduzidos sob a pele. Os biochips podem carregar literalmente qualquer tipo de informação, inclusive de movimentação bancária, além de servir como GPS - razão pela qual muitos já os usam como dispositivo de localização e anti-sequestro. O mesmo artigo A marca da besta traz mais detalhes e vídeos a respeito desse tema.

Perceba que, com isso, o anticristo exercerá o controle mundial da economia e ao mesmo tempo saberá a localização exata de qualquer pessoa no planeta - uma forma de ninguém escapar de seu governo de mão-de-ferro. Mais adiante, em Apocalipse 14, veremos que a escolha de receber a marca será consciente: quem a receber definirá seu futuro no inferno, porque estará declarando lealdade eterna ao anticristo e perderá a salvação.

 

Índice do Estudo do Livro de Apocalipse