Apocalipse 12 - A guerra de SatanÁs contra Israel: a segunda metade da TribulaÇÃo

Apocalipse 12

  1. Viu-se grande sinal no céu, a saber, uma mulher vestida do sol com a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas na cabeça,
  2. que, achando-se grávida, grita com as dores de parto, sofrendo tormentos para dar à luz.
  3. Viu-se, também, outro sinal no céu, e eis um dragão, grande, vermelho, com sete cabeças, dez chifres e, nas cabeças, sete diademas.
  4. A sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu, as quais lançou para a terra; e o dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devorar o filho quando nascesse.
  5. Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações com cetro de ferro. E o seu filho foi arrebatado para Deus até ao seu trono.
  6. A mulher, porém, fugiu para o deserto, onde lhe havia Deus preparado lugar para que nele a sustentem durante mil duzentos e sessenta dias.
  7. Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos;
  8. todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles.
  9. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos.
  10. Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus.
  11. Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida.
  12. Por isso, festejai, ó céus, e vós, os que neles habitais. Ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta.
  13. Quando, pois, o dragão se viu atirado para a terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão;
  14. e foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar, aí onde é sustentada durante um tempo, tempos e metade de um tempo, fora da vista da serpente.
  15. Então, a serpente arrojou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, a fim de fazer com que ela fosse arrebatada pelo rio.
  16. A terra, porém, socorreu a mulher; e a terra abriu a boca e engoliu o rio que o dragão tinha arrojado de sua boca.
  17. Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar.

O contexto de Apocalipse 12

Se você tem acompanhado este estudo desde o início, deve ter percebido que Israel aparece com grande frequência no Livro de Apocalipse. Além disso, você deve ter percebido o papel profético de Israel no fim dos tempos. Por exemplo:

  1. Israel fará um acordo de paz com o anticristo (Daniel 9:27) que iniciará o período de Tribulação
  2. As 144.000 testemunhas levantadas por Deus em Apocalipse 7 provem das 12 tribos de Israel
  3. As duas testemunhas sobrenaturais de Apocalipse 11 aparecem em Jerusalém

Israel não é e jamais foi esquecido por Deus. O período de Tribulação também visa a restauração definitiva de Israel. Apocalipse 12 foca guerra entre Satanás e a nação israelita. Este capítulo de Apocalipse também dá início à segunda metade da Tribulação.

"Viu-se grande sinal no céu, a saber, uma mulher vestida do sol com a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas na cabeça, que, achando-se grávida, grita com as dores de parto, sofrendo tormentos para dar à luz."
Há interpretações diferentes de quem seria a mulher referida nesses dois versículos. Existem teses que afirmam que seria Maria, mãe de Jesus. Existem até quadros de pintores famosos referenciando este trecho, como por exemplo o do espanhol Murillo, em 1648, retratando Maria vestida de sol. Nesse caso, não se pode interpretar a mulher literalmente como Maria por dois motivos:

  • Maria deu à luz Jesus na terra e não nos céus, portanto a interpretação literal falharia nesse caso
  • É a primeira vez, em todo o livro de Apocalipse, que aparece a palavra sinal. Portanto, se é um sinal, não é uma mulher literal, mas é símbolo de algo mais

Se o significado não é literal, então temos que recorrer à Bíblia para encontrarmos referências simbólicas semelhantes. A passagem que mais se assemelha a Apocalipse 12:1-2 é esta de Gênesis 37:9-11 - o sonho de José, filho de Jacó (Israel):

"Teve ainda outro sonho e o referiu a seus irmãos, dizendo: Sonhei também que o sol, a lua e onze estrelas se inclinavam perante mim. Contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o o pai e lhe disse: Que sonho é esse que tiveste? Acaso, viremos, eu e tua mãe e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra? Seus irmãos lhe tinham ciúmes; o pai, no entanto, considerava o caso consigo mesmo."

Novamente o sol e a lua são citados. Os dois são elementos de transmissão de luz: o sol é uma fonte de luz; a lua, um refletor da mesma luz. São símbolos de Deus que representam Israel como sendo a nação portadora da luz de Deus para a humanidade. Assim deveria ser no Velho Testamento, mas Israel foi infiel em propagar a mensagem de Deus e foi julgado, indo ao cativeiro. A luz passou então ser papel da igreja (leia Apocalipse 2 e 3). Agora, durante a Tribulação, as 144.000 testemunhas judaicas levantadas por Deus devolverão a Israel o papel de portador da luz de Deus às nações.

Sendo assim, é mais adequado afirmar que a mulher representa Israel. Em Apocalipse 12:4-5 (mais adiante), o filho varão representa Jesus. Em outras palavras, o sinal da mulher dando à luz significa Israel dando à luz o Messias.

"Viu-se, também, outro sinal no céu, e eis um dragão, grande, vermelho, com sete cabeças, dez chifres e, nas cabeças, sete diademas."
O dragão representa o diabo. Apocalipse 12 cita vários nomes para o diabo:

  • O grande dragão vermelho (v. 3): A cor vermelha é citada porque representa o derramamento de sangue de toda história da humanidade, desde os tempos de Caim até hoje
  • A antiga serpente (v. 9): Faz referência ao episódio do Jardim do Éden
  •  diabo (v. 9): É o nome adotado nos Evangelhos para esse ser maligno. Significa literalmente acusador ou caluniador
  • Satanás (v. 9): Significa adversário. É o inimigo de Deus e de todos os seres humanos
  • O sedutor de todo o mundo (v. 9): Toda estratégia usada pelo diabo para enganar o ser humano é baseada em sedução
  • O acusador de nossos irmãos (v. 10): Designa a função dele diante do trono de Deus: acusar a todos nós. Para quem não acredita que o diabo possa apresentar-se diante de Deus, leia Jó 1 e 2.

O fato de o diabo ter sete cabeças com sete coroas (diademas) muito provavelmente representa os sete estágios do Império Romano, que moldou o estilo de governo satânico. O Império em si pode ter desaparecido, mas seu conceito permanece até nossos dias - o mesmo regime ditatorial, totalitário e maligno adotado em países atuais. Pela história, o Império Romano teve seis estágios:

  1. Roma, somente
  2. Itália
  3. Grécia e os Bálcãs
  4. França (Gália)
  5. Oriente Médio
  6. Britânia

Fonte: Schoolshistory.org.uk

O sétimo estágio será o governo satânico do anticristo, baseado nos mesmos moldes sanguinários do Império Romano. Mais detalhes sobre o governo do anticristo serão explicados em Apocalipse 13. Os dez chifres representarão os dez reis (ou governantes) mundiais que se reportarão ao anticristo.

"A sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu, as quais lançou para a terra; e o dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devorar o filho quando nascesse."
A cauda do dragão arrastando um terço das estrelas do céu (ou um terço dos anjos que seguiam o dragão) remete-se à queda de Satanás relatada em Isaías 14. O orgulho de Satanás, o desejo dele de ser mais que o próprio Deus, fez com que ele caísse e levasse consigo um terço dos anjos que o seguiam. Tais anjos, agora recebem o nome de demônios - são anjos caídos, agora afastados de Deus.

O fato de o dragão se deter diante da mulher prestes a dar à luz é referência a Gênesis 3:15:

"Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar."

Essa é a primeira promessa de que um Messias viria e salvaria o mundo a fim de restaurar tudo o que foi perdido desde o pecado original de Adão e Eva. E também, é uma maldição lançada por Deus a Satanás, ainda no Jardim do Éden. Leia o Devocional Messiânico da Semana 1 para saber mais detalhes sobre essa profecia. "...a fim de devorar o filho quando nascesse" é exatamente o que Satanás fez, através de Herodes quando Jesus nasceu - matou a maioria das crianças com até dois anos de idade a fim de ter êxito em exterminar o Messias (Mateus 2:16). Obviamente não conseguiu parar o plano de Deus.

"Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações com cetro de ferro. E o seu filho foi arrebatado para Deus até ao seu trono."
A identidade do filho varão está clara que é Jesus Cristo, "que há de reger todas as nações com cetro de ferro ", ou seja, que estabelecerá seu governo milenar. E Jesus realmente ascendeu (foi arrebatado) aos céus diretamente ao trono de Deus, justamente após sua ressurreição.

"A mulher, porém, fugiu para o deserto, onde lhe havia Deus preparado lugar para que nele a sustentem durante mil duzentos e sessenta dias."
Lembrando que a mulher é Israel, conforme explicado anteriormente, entre o versículo 5 e 6 de Apocalipse 12 há um intervalo de tempo de aproximadamente 2.000 anos. Apocalipse 12:6 refere-se agora à segunda metade da Tribulação, em que Israel é protegido por Deus por 1.260 dias, aproximadamente três anos e meio. Em outras palavras, Deus protegerá os judeus remanescentes e convertidos a Jesus durante a segunda metade da Tribulação.

Daniel 11:40-45 menciona uma guerra mundial durante a Tribulação que afetará todos os povos ao redor de Israel:

"No tempo do fim, o rei do Sul lutará com ele, e o rei do Norte arremeterá contra ele com carros, cavaleiros e com muitos navios, e entrará nas suas terras, e as inundará, e passará. Entrará também na terra gloriosa, e muitos sucumbirão, mas do seu poder escaparão estes: Edom, e Moabe, e as primícias dos filhos de Amom. Estenderá a mão também contra as terras, e a terra do Egito não escapará. Apoderar-se-á dos tesouros de ouro e de prata e de todas as coisas preciosas do Egito; os líbios e os etíopes o seguirão. Mas, pelos rumores do Oriente e do Norte, será perturbado e sairá com grande furor, para destruir e exterminar a muitos. Armará as suas tendas palacianas entre os mares contra o glorioso monte santo; mas chegará ao seu fim, e não haverá quem o socorra."

Os povos que escaparão da guerra mundial serão Edom, Moabe e Amom. Esses três povos correspondem hoje à Jordânia, mais especificamente à região onde hoje está a cidade de Petra, e é um lugar desértico. Portanto, é muito provável que esse seja o lugar para onde Israel deva fugir.

Deus protegerá e esconderá Israel na segunda metade da Tribulação. É mais uma grande evidência de que o anticristo fará uma campanha de perseguição antissemita - uma das características marcantes do governo do anticristo.

"Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos..."
Costumo sempre dizer que toda guerra que acontece aqui na terra nada mais é do que um reflexo da guerra espiritual que ocorre simultaneamente. O mundo em guerra durante a Tribulação será um reflexo do clímax da guerra espiritual que vem envolvendo os anjos do Senhor (liderados pelo arcanjo Miguel) e os demônios (obviamente liderados por Satanás).

Daniel 12:1 afirma que, no final dos tempos, "se levantará Miguel, o grande príncipe, o defensor dos filhos do teu povo...". Esse versículo se cumprirá na segunda metade da Tribulação.  Podemos ver, então, que Miguel agora é designado por Deus para proteger Israel das investidas dos exércitos de Satanás e do anticristo.

"...todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos."
Atualmente, o diabo ainda exerce o papel de se colocar diante do trono de Deus para acusar a nós. Esse versículo indica que:

  1. O diabo e seus demônios não prevalecerão diante do exército de anjos do Senhor
  2. A expulsão aqui indica que o diabo, além de perder o direito de acusar diante do trono de Deus, ele e seus demônios serão definitivamente expulsos das regiões celestes (leia Efésios 6). Resta somente a terra para onde eles irão. Esse é um dos passos determinantes para o estabelecimento do Reino de Jesus Cristo, porque agora o diabo e seus demônios terão poderes ainda mais restritos.

"Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus."
Esse versículo testifica o anterior, confirmando o banimento de Satanás dos céus. Também confirmando o versículo anterior, indica que o grande passo para o estabelecimento do Reino de Jesus Cristo na terra foi dado.

"Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida."
Esse versículo já indica a vitória do Povo de Deus sobre as acusações de Satanás. A vitória sobre as acusações de Satanás vem por três razões:

  1. Por causa do Sangue do Cordeiro: o sangue de Cristo tira o pecado do mundo e mais uma vez está presente nessa vitória
  2. Por causa do testemunho de Jesus Cristo: o testemunho de Jesus sempre vencerá Satanás e mais uma vez é o que ocorrerá agora. Mesmo em meio à Tribulação, muitos que ficaram para trás no Arrebatamento, se converterão e ainda terão coragem de testemunhar sobre Jesus
  3. Porque não amaram a própria vida mesmo diante da morte: o amor desses corajosos por Jesus é maior que o da própria vida

"Por isso, festejai, ó céus, e vós, os que neles habitais. Ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta. Quando, pois, o dragão se viu atirado para a terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão..."
O fato de Satanás ter sido banido dos céus e agora impedido de acusar os crentes, será motivo de grande festa nos céus. Em contrapartida, a terra não poderá celebrar o mesmo. O próprio Satanás agora investirá de toda violência e fúria possíveis no intuito de tentar eliminar Israel, onde nasceu Jesus. A fúria do diabo será descomunal devido ao fato de saber que pouco tempo lhe resta até que seja derrotado definitivamente.

"...e foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar, aí onde é sustentada durante um tempo, tempos e metade de um tempo, fora da vista da serpente."
De maneira sobrenatural, Deus dará asas à nação de Israel para que ela possa voar até o deserto, no lugar onde permanecerá por 3 anos e meio (um tempo, tempos e metade de um tempo) sendo protegida de forma sobrenatural por Deus e fora do alcance da fúria de Satanás e do anticristo. Deverá ser algo surpreendente, beirando o absurdo, mas literal - todos os judeus remanescentes de Israel literalmente voando para o lugar de proteção.

"Então, a serpente arrojou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, a fim de fazer com que ela fosse arrebatada pelo rio."
Esse versículo pode significar literalmente uma tentativa de Satanás de provocar uma cheia na região onde Israel estaria protegido. Existem também interpretações divergentes. A versão Almeida Corrigida Fiel (ACF), traduz esse versículo a partir do grego da seguinte maneira:

"E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar." (ACF)

Tomando em conta que a "mulher" é um símbolo de Israel, e a "serpente" um símbolo de Satanás, é provável que o significado de "corrente" seja o mesmo de Isaías 59:19, em que a palavra "corrente" é usada como símbolo para indicar a invasão de exércitos inimigos a determinado território.

"Então temerão o nome do SENHOR desde o poente, e a sua glória desde o nascente do sol; vindo o inimigo como uma corrente de águas, o Espírito do SENHOR arvorará contra ele a sua bandeira." (ACF)

Essa interpretação faz total sentido, porque é muito provável que o anticristo desloque exércitos de várias regiões do planeta para cercar o local de proteção de Israel.

"A terra, porém, socorreu a mulher; e a terra abriu a boca e engoliu o rio que o dragão tinha arrojado de sua boca."
Deus protegerá Israel sobrenaturalmente. Na ocasião da rebelião de Corá (Números 16), a terra se abriu e engoliu todos os que estavam contra Deus. Aqui acontecerá novamente: a terra engolirá a todos os exércitos que tentarem atacar Israel.

"Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar."
Mesmo tendo suas tentativas anuladas ao tentar destruir Israel, o diabo continuará tentando até que seja totalmente amarrado e aprisionado no abismo, conforme indica o final do Livro de Apocalipse. Os "restantes da descendência" indicam mais uma vez que haverá judeus salvos e convertidos a Jesus durante a Tribulação. Esses judeus guardarão os mandamentos de Deus e testemunharão Jesus. Em outras palavras, serão judeus em completa obediência a Deus, porque aceitarão Jesus como o verdadeiro Messias (algo que Israel ainda não fez desde os dias de Davi).

Perceba que Deus usará justamente o período de Tribulação para promover um avivamento como nunca antes em Israel. Apocalipse 12 é prova de que isso acontecerá.

 

Índice do Estudo do Livro de Apocalipse